Prefeitura de Hortolândia promove campanha de prevenção e combate ao abuso e à exploração sexual infantojuvenil

Ações comunitárias de sensibilização iniciaram, nesta segunda-feira (02/05), pelo CRAS Jd. Amanda

Hortolândia participa do “Maio Laranja”, mês de sensibilização para a prevenção e o combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. As primeiras ações da campanha, realizada pela Prefeitura via Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, aconteceram na manhã desta segunda-feira (02/05) no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Jd. Amanda e contaram com a presença do prefeito José Nazareno Zezé Gomes. A ação faz parte da programação oficial do mês de aniversário de 31 anos de Hortolândia.

Na ocasião, foram distribuídos cerca de 500 panfletos, alusivos ao tema, visando a conscientizar a comunidade para que ela se torne parceira do poder público, protegendo, identificando e denunciando eventuais casos de violação de direitos infantojuvenis (veja abaixo). 

“Iniciamos no CRAS do Jardim Amanda II o mês de combate contra o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. O Maio Laranja tem como objetivo articular e desenvolver políticas públicas voltadas à garantia dos direitos humanos infantojuvenis. A ideia é proteger esse público de negligências, discriminação, violência e abuso. Para celebrar esse trabalho, junto com a minha esposa Maria dos Anjos, nos reunimos com os nossos servidores municipais da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, que estão na linha de frente no atendimento e na defesa de nossas crianças e jovens. Vamos fortalecer essa importante campanha em Hortolândia”, afirmou o prefeito Zezé Gomes.

Segundo o Setor de Proteção Social Especial, há aproximadamente um ano, o CREAS (Centro de Referência Especializada de Assistência Social) acompanha 110 crianças e adolescentes vítimas de violência sexual no município. Outras ações comunitárias de sensibilização estão marcadas para acontecer ao longo deste mês, no CREAS e também nos CRASs. 

Entre as ações propositivas, que podem ser desenvolvidas pela família ou pela escola estão: disponibilizar conhecimento de ações preventivas como estratégias para identificar situações que não são normais; falar sobre toques e limites do corpo e ensinar a reconhecer afeto e toques abusivos.

“Preservar nossas crianças e adolescentes é um dever não só do poder público, mas de todo o cidadão e cidadã responsável. Prevenir através da conscientização é garantir um futuro sem traumas para nossas gerações futuras”, ressalta o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva.

Em todo o Brasil, 18 de maio é considerado o Dia Nacional de Combate à Violência e à Exploração Sexual Infantil. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, a data foi instituída pelo projeto de lei 9970/2000. “A escolha se deve ao assassinato de Araceli, uma menina de oito anos que foi drogada, estuprada e morta por jovens de classe média alta, no dia 18 de maio de 1973, em Vitória (ES). Esse crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje permanece impune”. Outras informações sobre o Maio Laranja estão disponíveis neste link.