Prefeitura lança Programa Horta Comunitária nesta terça-feira (10/05)

Evento será às 10h, no câmpus Hortolândia do Instituto Federal de São Paulo

A Prefeitura de Hortolândia lança, nesta terça-feira (10/05), o Programa Horta Comunitária, que visa transformar áreas públicas urbanas pouco exploradas em espaços de trabalho coletivo destinado à produção de alimentos, como frutas, legumes e verduras. O evento será às 10h, no câmpus do IFSP (Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de São Paulo), localizado na Avenida Thereza Ana Cecon Breda, 1.896, na Vila São Pedro. A ação integra a programação de aniversário de 31 anos do município.

O programa será realizado pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, contando ainda com dois participantes externos: a Coordenadoria de Extensão do IFSP e a OSC (Organização da Sociedade Civil) Amater. A primeira reunião de trabalho de todos os envolvidos aconteceu na última quarta-feira (04/05).

Inicialmente serão implantadas duas hortas comunitárias urbanas, de acordo com o Dgres (Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária). Uma ficará ao lado do câmpus do IFSP e outra ao lado do condomínio Bromélias, na Rua Henriqueta Lisboa, s/n, no Jardim Amanda II. Caberá à Amater, entidade com quem a Prefeitura assinou Termo de Cooperação por três meses, implantar as hortas urbanas, oferecendo formação aos 20 munícipes selecionados para participar do programa. Após este prazo, o Instituto Federal assumirá as formações, por meio do programa “Frutificando”, dando continuidade ao “Horta Comunitária”, com o apoio da equipe da Economia Solidária e do programa “Capacita Hortolândia”.

“As hortas têm como objetivo atender à comunidade do território, a fim de oferecer formação para a preparação do solo, o plantio, a colheita e sustentabilidade do projeto, visando a segurança alimentar dos moradores do entorno. Este projeto está acontecendo em caráter experimental. A meta é sua implantação em toda a cidade, diminuído o descarte irregular, promovendo a cidadania e despertando o sentimento de pertencimento dos moradores do entorno, além de promover a segurança alimentar. Toda a produção será distribuída entre os envolvidos, gratuitamente”, explica o diretor do Dgres, Amarantino Jesus de Oliveira, o Tino Sampaio.

Ainda segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, poderão participar do programa, preferencialmente, pessoas físicas moradoras dos bairros Vila São Pedro, Terras de Santa Maria, Jardim das Colinas, Vila Real e Parque Orestes Ôngaro. É preciso preencher ficha cadastral e entregá-la, junto com cópias de documentos pessoais, no Departamento de Geração de Renda e Economia Solidária, localizado no segundo andar do Paço Municipal “Palácio das Águas” (Secretaria de Inclusão), na Rua José Cláudio Alves dos Santos, 585, no Remanso Campineiro.